Logo Las Cartas de la Vida
 
 LasCartasDeLaVida.comEm PortuguêsO ciclo de JúpiterMobile version Español  English  
Hoje, 12/12/2017, o Almanaque Chinês diz: "Aceitação: Os preciosos tesouros do Imperador do Céu são recebidos"

Quem é
que sou

 
O ciclo de Júpiter: estão a sentir-se os signos chineses antes do esperado?

Desde há alguns anos, muitas pessoas sentimos que a influência do signo chinês do ano seguinte é sentida muito antes do que o esperado, ou seja, não a partir de Janeiro/Fevereiro, mas alguns meses antes, por volta do Outono.

Obviamente isto é apenas uma opinião, algo que não pode verificar-se com um "instrumento científico"; você poderia dizer que alguém é de origem asiático ou europeu por causa da sua cara, mas dizer que alguém tem características do signo galo em vez do signo macaco é basicamente uma opinião subjetiva.

No entanto, há vários factos objetivos que apoiam esse sentimento de que as influências dos signos anuais chineses notão-se cada vez mais cedo, e assim é que decidí mostrá-los aqui para partilhá-los com as pessoas interessadas no assunto.

A pergunta fundamental é: ¿porque é que o ano 2017 será o ano do Galo de Fogo?

A resposta é simples: porque esse é o ano que se segue ao ano do Macaco de Fogo de acordo com o calendário lunar chinês, da mesma forma que ele será o ano 2017 porque segue ao ano 2016.

O problema é que o "calendário chinês" não é a mesma coisa que a "Astrologia Chinesa", o primeiro simplesmente mede o tempo, e a segunda trata das influências do que acontece no Céu sobre as situações da terra ao longo do tempo, e por incrível que possa parecer, a resposta oficial da maioria dos astrólogos chineses é que ele vai ser o ano do fogo Galo simplesmente porque vêm após o ano de macaco de fogo.

Isto é, que não há nenhuma efeméride astronómica que justifique o signo do ano na Astrologia chinesa, mas por outro lado, o signo chinês do mês depende da posição relativa do sol sobre as diferentes áreas do Céu, e da mesma forma, o signo da hora (ascendente) depende da posição do sol em relação ao lugar onde se nasceu.

No entanto, considerando que há 12 signos anuais chineses, e que Júpiter leva quase 12 anos para completar sua órbita ao redor do Sol, pode-se pensar que é a posição de Júpiter no céu o que determina a influência do chamado signo do ano chinês, mesmo que isso seja contra os postulados da astrologia chinesa actual.

Surpreendentemente, essa ideia de ser Júpiter quem define a influência anual dos 12 signos chineses encontra vários factos que a suportam:

  • Durante os últimos 100 anos ou mais, a posição de Júpiter no céu para cada ano tem na maior parte coincidido com a área pertencente aos 12 signos chineses, conforme definidos estes pelos meses solares chineses.

    Isto pode parecer confuso, mas é fácil de entender com este gráfico obtido com este programa:

    Posição de Júpiter em 1957 e 2017

    Na imagem acima, o círculo interior representa as posições do Sol e Júpiter a 22 de Setembro de 1957 (o anterior ano do Galo de Fogo), como você pode ver tanto o Sol como Júpiter estão na área do galo.

    Então, no seguinte ano do Galo de Fogo (2017), no 22 de Setembro, no círculo exterior podemos ver que o Sol estará novamente na área do Galo, mas Júpiter estará já na área do cão.

    Isso acontece por causa do Ciclo de Júpiter, que não leva exactamente 12 anos para completar uma órbita ao redor do sol, mas 11,86 anos, por isso 60 anos depois não está no mesmo lugar, mas um bocado mais para frente.

  • Esta situação em que a posição de Júpiter no Céu coincide com os nomes anuais dos signos chineses, tal como são definidos pelos meses astrológicos chineses acontece apenas uma vez a cada 1000 anos, a última vez que isso aconteceu antes de 1957 foi no ano 937:

    posição de Júpiter nos anos 1957 e 937

  • Desde o ano 937 e até 1897 não coincidiria novamente, por isso nos 15 anos do Galo de Fogo entre 937 e 1957, Júpiter esteve fora da área do Galo, conforme definida esta pelos meses astrológicos chineses.

    Na verdade, de acordo com esta teoria, no final do século XIX, a influência do signo anual chinês teria de ser fazer sentir mais tarde do que o esperado, porque, como pode se ver no gráfico em baixo, em Setembro de 1897 Júpiter tinha acabado de entrar na área do Galo, mesmo que o ano chinês do Galo de Fogo tinha começado 8 meses antes de acordo com o calendário chinês:

    Posição de Júpiter nos anos 1897 e 1957

  • Para além disto, foi no século X da nossa era que os 12 signos chineses tornaram-se populares na China e começaram a ser associados com os anos correspondentes do calendário chinês, que já estava em uso desde vários milhares de anos atrás, mas sem os nomes dos 12 signos animais.

    E curiosamente, uma das mais antigas representações dos 12 signos do Zodíaco chinês na China, até onde eu sei, está num calendário que aparece no manuscrito chamado "Tun Huang" datado no ano 978, clique sobre a imagem para vê-lo em detalhe:

    calendário do Tun Huang

    Os 12 signos animais são representados por cima das cabeças dos 12 homens ao redor da mesa, a qualidade da imagem não é muito boa, por isso é difícil vê-la.

    E pelo menos para mim, parece-me muita coincidência que os chineses começaram a nomear os seus anos com os 12 signos animais que conhecemos hoje apenas quando as posições de Júpiter coincidiam com as áreas associadas aos 12 signos.

    A minha opinião é que eles podem ter feito isso porque empiricamente viram que as influências dos 12 signos eram sentidas nos seus anos correspondentes (durante o século X).

  • Além disso, durante os anos em que a posição de Júpiter coincidiu com os respectivos meses solares chineses (início do século X), China estava num período muito caótico de sua história, a dinastia Tang tendo colapsado no ano 906, de forma que a situação não iria estabilizar-se novamente até bem passado o ano 960/978 quando a Dinastia Sing tornou-se bem estabelecida.

    Então, pode-se pensar que neste ambiente caótico era muito mais fácil para o calendário chinês mudar no sentido de incluir os 12 signos animais para nomear os anos, pode ter sido uma maneira para que os novos governantes marcassem a diferença com o passado, especialmente se havia uma crença popular na relação entre os anos de calendário chinês e o ciclo dos 12 signos zodiacais.

  • Falando sobre períodos caóticos da China, existe um paralelismo surpreendente num nível astrológico entre a transição da Dinastia Tang à Dinastia Sing, nos anos 906-978, e a transição da Dinastia Manchu, 1900/1911, até à actual República Popular Chinesa que ficou estável depois da década dos setenta do século XX.

  • E se isso não fosse suficiente coincidência, a situação na Coreia nesses mesmos períodos também foi bastante caótica, já que foi em 935 que o general Wang Kon derrubara os governos coreanos locais para estabelecer um governo central, e precisamente no mesmo momento astrológico, foi que a Coreia foi primeiro abalada pela invasão japonesa e depois pela guerra civil, dando lugar a situações muito duras que duraram até o último quarto do século XX.

  • Mas além dos paralelismos astrológicos, após o século X, pode ser que os chineses continuariam a nomear os seus anos com os nomes dos 12 signos simplesmente por hábito, mesmo se não estivesse tão claro que as suas influências astrológicas foram aqueles associadas a cada signo; seria interessante investigar se durante o século XIX na China as pessoas gostavam tanto como hoje de nomear os anos chineses com os 12 nomes do Zodíaco como é hoje, ou talvez que a costume reviveu desde início do século XX.

  • Também por coincidência, no início do século XX, quando a posição de Júpiter voltou coincidir com os signos dos anos, houve uma renovada na astrologia chinesa no mundo ocidental.

  • Esta teoria é também apoiada pelo facto dos mapas astrais chineses entre os séculos X e XIX não usavam o signo animal do calendário chinês como uma figura importante, mas em vez disso usavam muitos outros dados astronómicos.

  • Por outro lado, há provas abundantes de que os signos chineses que conhecemos hoje não são uma invenção chinesa, mas veio de um país vizinho, uma das representações mais antigas conhecidas de eles estão numa tumba do século VIII, em Silla (Coreia), e há teorias de que sua origem pode ser da Mongólia, Índia ou mesmo da Turquia.

    Isto sugere que antes de utilizar os 12 signos para nomear os anos do calendário chinês, estes mesmos signos poderiam ter sido usados de outra forma, talvez associados às diferentes posições de Júpiter no seu ciclo de quase 12 anos.

  • O que está claro é que muito antes de que os 12 signos chineses foram inventados, os astrólogos chineses usavam a posição de Júpiter no céu para se referir às influências do ano, sem misturar isto com o calendário chinês.

    Por exemplo, na história de Du Lanxiang do primeiro século dC (Dinastia Han), a história gira em torno de uma menina, uma brilhante astróloga, que disse que ela teve que esperar até "o ano em que Júpiter estivesse no Leste" para se casar com o seu namorado de modo que o casamento fosse bem sucedido, o que significa que muito antes dos 12 signos chineses foram inventados, era comum olhar para a influência do ano pela posição de Júpiter no céu, coisa que a astrologia chinesa (BaZi) não faz.

É claro que não é uma questão simples, mas a ideia básica é que a influência astrológica dos signos anuais chineses não depende do calendário chinês, mas da posição de Júpiter no Céu.

E a causa do ciclo de Júpiter durar quase 12 anos, só um século cada milénio os nomes dos anos do calendário chinês coincidem com as suas respectivas áreas do Céu.

No entanto, há algumas peças que faltam nesta teoria, porque, embora seja verdade que as influências do próximo signo ano chinês são sentidas mais cedo do que o esperado (talvez a partir de Outubro), se consideramos apenas a posição de Júpiter, as influências teriam de ser sentidas até mesmo muito mais cedo, mais 4 ou 5 meses, talvez em torno a maio.

De acordo com as minhas observações, parece que há uma desfasagem de cerca de 13 graus entre a posição de Júpiter e as influências experimentadas, eu acho que talvez seja devido à combinação de seu campo magnético com o desvio magnético da Terra, ou talvez seja relacionado com o movimento retrógrado aparente de Júpiter devido ao movimento da Terra em torno do Sol.

 
Dados Pessoais
nome: Inácio Vidal (Nacho)
idade: 39 anos
Mora na ilha de São Miguel (Açores, Portugal)
Inácio Vidal
Nascido na Espanha no ano 1978, estudou engenharia técnica industrial na Universidade de Valhadolid.
Em 1999 começou trabalhar como programador, passando em breve para a área de administração de sistemas Unix, primeiro no Ministério das Administrações Públicas, e depois em Société Générale e na Siemens.
Desde o ano 2004 trabalha como consultor independente.

Leitores/as
Desde começos de mês:
21875 visitas (15982 pessoas)

 PáginasSolicitudes
15020102619
13859122853
1105866820
787558195
745944952
510239326
460226745
324819189

Estatísticas detalhadas 2017

A história deste site web contada em espanhol de forma cronológica, desde o seu começo no ano 2004 até a atualidade.

Autor: Nacho Vidal